8 coisas que aprendi com o Stuff In Bag, minha primeira startup 

Olá!

É interessante ver o comportamento das pessoas, quando elas descobrem que você (brasileiro expatriado) criou uma startup focada no público internacional.

A maioria pensa que você já está ganhando rios de dinheiro e que não precisa mais trabalhar, mesmo quando seu negócio acabou de ser criado! 😁

Puro engano!

Quando se tem uma startup é exatamente quando o dobro (ou triplo) do trabalho se faz necessário. Com raras (muito raras) exceções, no início vc precisa dedicar um tempo descomunal para o seu novo negócio, além eventualmente ter de bancar tudo do próprio bolso, mesmo colocando uma grana adiantada pra abrir o empreendimento.

Ok, ok! Antes de mais nada, vamos contextualizar. Se você ainda não conheceu, deve estar se perguntando: “mas que diabos é esse tal de Stuff In Bag”, certo?

O Stuff In Bag é, basicamente, uma plataforma de matchmaking (encontro), e economia colaborativa. Ela ajuda as pessoas a comprar produtos no exterior, pagando menos no “frete”, recebendo os produtos mais rápido, sem que elas precisem sair do país, e também, ajuda aos viajantes a ganhar uma grana com suas viagens, através da apresentação das duas pontas e “cruzamento” de interesses. 

Aqui está a lista de algumas das coisas que aprendi rodando minha primeira startup:

1. Tenha uma equipe multidisciplinar

Parece básico e óbvio, mas montar uma equipe multidisciplinar é essencial pro negócio. Ou seja, pessoas que realmente possam cobrir cada necessidade ( técnica, marketing , vendas, administrativa, etc) do negócio e, principalmente, possam contribuir com ideias e diferentes pontos de vista para cada uma delas.

2. Desde cedo defina os papéis e respondabilidades

Sim, é verdade que numa startup cada um faz um pouco de tudo, afinal, nem sempre se pode ter um funcionário especializado em cada atividade, então, todos precisam se ajudar.

Mas, definir claramente quais são os papéis de cada envolvido e suas responsabilidades, tornará mais fácil dividir as tarefas sem sobrecarregar ninguém.

3. Defina consequências e “penalidades” claras

Numa startup as coisas acontecem muito rápido, então não há tempo para procrastinar! Apenas definir “papéis” e responsabilidades não vai funcionar. 

Se as responsabilidades não forem executadas, a coisa toda pode desandar! Então, você e seus sócios e colaboradores  devem ter bem claro que consequências terão por não executar suas tarefas. 

A penalidade pode ser, por exemplo: pagar uma multa através da perda de um percentual de sua quota na sociedade! No caso de funcionários, um aviso formal.

Vale aplicar as KPIs com curtos períodos de avaliação. Assim será mais simples de medir o que foi feito através dos resultados, ao invés de apenas controlar horários!

Um acordo bem definido entre os sócios, com regras de saída para os que não cumprirem sua parte, também ajuda muito. Essa regra deve ser válida inclusive para os fundadores.

4. “Produto minimamente viável”, ou Minimum Viable Product (MVP)

Esse não é só um termo bonitinho pra definir a primeira versão do produto que será lançado. É, talvez, o que fará a total diferença entre “vida” e “morte” do seu negócio! 

Acredite.

É preciso ter muito foco e definir antecipadamente com a equipe de forma clara que tipo de funcionalidades, ou especificações, o produto terá em sua primeira versão.

Assim, todos poderão colocar a mão na massa ao mesmo tempo e fazer a “coisa” andar.

Sem isso, acredite, serão horas e muitas horas no desenvolvimento, pra que mais tarde outras disciplinas olhem para o resultado e digam: “ah, mas vamos esperar até tal funcionalidade ficar pronta para então começar o …” (Troque os … por qualquer coisa, tipo: marketing, venda, aquisição de parcerias ou investimento …)! 

Nesta fase, não é hora de colocar no produto tudo o que lhe vem à mente, mas apenas o mínimo necessário pra que vc e sua equipe possam atender o funcionamento principal do negócio e validar a ideia no mercado.

5. Disciplina, mesmo com horário flexível…

Se você, seus sócios e colaboradores não estão 100% dedicados a execução do trabalho, a disciplina será a linha de corte para um possível sucesso.

É possível usar a estratégia de horário flexível, ou seja, não precisar trabalhar sempre no mesmo horário, mas, é necessário haver um comprometimento de X horas trabalhadas no dia.

Isso ajudará a não perder o foco e seguir em frente, mesmo que seja um pouquinho por dia.

6. Contato diário 

Sem contato diário, é difícil acompanhar o andamento dos trabalhos, a troca de ideias e ir pra frente.

Se o contato com seus sócios for muito espaçado, fatalmente haverá muito espaço pra perder o ritmo.

Quando todos trabalham juntos, no mesmo espaço físico, então é muito simples organizar reuniões diárias de 15 minutos, ou menos, para o acompanhamento … 

Vale a pena dar uma boa olhada na metodologia agile .

Quando se trabalha remoto, então, conferências diárias podem ser uma boa ideia.

7. Definir o “tempo de vida” do negócio 

Antes de começar defina suas métricas de visão macro, ou como é chamado atualmente: “big view“. Ou seja, o que se espera alcançar nos primeiros X anos.

Essa métrica é o objetivo do seu negócio a longo prazo (1, 2 ou 3 anos). Sim, para uma startup, 3 anos é um prazo bastante longo!

Se no prazo estipulado sua equipe não tiver alcançado pelo menos 70% do desejado, simples, é hora de fechar e seguir pra outra.

Seja implacável nesse ponto.

8. O usuário é seu chefe 

Isso parece um clichê, eu sei. 

Mas é a pura  verdade. É este cidadão que você chama de usuário que vai dizer se seu negócio será um sucesso ou uma tragédia.

Já ouvi várias vezes que não se deve dar total razão ao cliente, mas ao invés disso, focar em montar uma equipe satisfeita.

Pessoalmente acho que  deve-se fazer os dois. Uma equipe satisfeita e motivada tratará melhor o cliente e, um cliente satisfeito naturalmente traz novos clientes para você. 

Mas no final, é o cliente que “paga a conta” para manter sua equipe feliz e  motivada. 🙂

Gostou das dicas? Compartilhe este artigo, deixe o seu comentário. Afinal, é isso que me dá o indicador se o conteúdo está sendo bom ou ruim pra você. 😉

Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.