E aí, já está falando Japonês?

Esta é uma pergunta muito comum entre as pessoas que converso, não importando se são pessoas da comunidade japonesa, fora dela, vivendo no Brasil ou no Japão! E confesso, é uma pergunta difícil de responder … rs.

Bom, há algum tempo atrás eu já havia escrito sobre o aprendizado do idioma (relembre aqui).

Sinceramente, não sei dizer se já estou falando, ou não! A verdade é que como o vocabulário é completamente diferente do que conhecemos, inclusive a pronúncia de palavras absorvidas do Inglês, existe um tempo maior para o aprendizado!

Diariamente eu tento aprender palavras novas e, semanalmente faço aulas com uma professora particular. Mas é preciso estudar muito e praticar mais ainda, pois o idioma requer uma boa dose de prática para facilitar o raciocínio “ao contrário” (partindo do Português), que é mais ou menos como as frases devem ser montadas no Nihongo.

Mas como dizem por aqui: がんばりましょう!(ganbarimashou), cujo significado aproximado é “Vamos nos esfoçar!”.

E você, já está falando Japonês? Comenta aí! 🙂

Brasileiros afetados pela crise de 2008 …

Depois de muitas tentativas fracassadas de reinserção profissional no Japão, mais de 70 mil brasileiros decidiram reconstruir a vida no Brasil, após vários anos de ausência.

Esta é a dura realidade abordada pelo documentário produzido por Adriana Nakamura e que será lançado no início de setembro de 2012, no Bunkyo de São Paulo, durante um seminário chamado “Crise Econômica e Retorno”.

O documentário é o resultado do trabalho de conclusão de curso de jornalismo, que segundo a autora, o trabalho é uma homenagem feita aos seus pais, Pedro e Maria, que trabalharam duro como dekasseguis e que, apesar das dificuldades que passaram, nunca permitiram que ela deixasse de estudar.

O documentário é um excelente material que aborda o assunto da crise de 2008 e ainda conta um pouco da vida dos brasileiros no Japão, sob o ponto de vista de diversos intrevistados. Dividido em 4 partes, o trabalho está disponível no Youtube, mas também pode ser visto abaixo:




Quem quiser, e puder, ajude a divulgar esta obra.

Até a próxima! 😉

 

Fonte: http://www.alternativa.co.jp

‘O Dialeto’

Praticamente uma regra implícita entre os brasileiros, que vivem no Japão, é falar usando o “dialeto”! Talvez por convivência com os nativos do idioma ou pela prática de certas palavras da língua, mesmo quando falando entre sí, os brasileiros usam frequentemente palavras em Japonês para descrever algo do cotidiano.

Onegai (por favor), Daijobo (tudo bem), Zanggiyo (lê-se zanguiô – hora-extra), Meru (mensagem de texto no celular), Keitai (celular), Arigatou (o famoso obrigado), Yakkin (turno do dia) e Hirukkin (turno da noite), sem contar as dezenas de outras palavras ou até mesmo expressões, são muito comuns no dia-a-dia.

Por fim, após tantos anos de Japão, algumas pessoas acabam até esquecendo, ou tendo dificuldade, para lembrar o significado de várias palavras no Português, assim, acabam usando a palavra em Japonês para descrever uma situação do dia-a-dia e com isso vão se acostumando com a mistura dos dois idiomas!

Introdução ao Idioma Japonês

Voltando do feriado prolongado, com a corda toda, numa semana que promete ser super agitada pra nós, vamos comentar aqui sobre idioma Japonês, ou “Nihongo“, a partir de umas informações que um colega nos mandou por e-mail! Valeu. 😉

O Japonês é um idioma que utiliza somente fonemas, em geral sílabas completas. Ressalta-se que o “n” é a única consoante representada fonéticamente. Por exemplo: a palavra “Kanji” (que pode ser descrita como desenho ou imagem que expressa uma idéia), não se tem “k”+”a”+”n”+”j”+”i”, e sim “ka”+”n”+”ji”. Observe que a divisão em fonemas não se confunde com a divisão em sílabas, como se pode ver no exemplo, “Kanji” – possui duas sílabas “kan”+”ji”, mas três fonemas “ka”+”n”+”ji”.

Os sistemas de escrita Japonês são três: Hiragana, Katakana e Kanji. Os dois primeiros são os conjuntos básicos de escrita, sendo que cada um deles possui mais ou menos 104 símbolos, denominados “Kanas”. Cada Kana, tanto do Hiragana como do Katakana, representa um som.

Existem 1945 Kanjis considerados fundamentais para a leitura de um periódico e para a vida cotidiana (JyouYou Kanji), entretanto, estima-se que com 1000 Kanjis um estrangeiro poderia se defender muito bem no Japão.

Por fim, há ainda o Romaji, que consiste simplesmente em escrever o Japonês com caracteres ocidentais.

( Fonte: http://www.aprendajapones.com.br )