Gigante vs Startup, por que deixei a gigante do e-commerce para entrar na startup de robótica!

Este é um tema muito interessante. Por que muitos deixam as gigantes de TI para apostar em pequenas startups?

Bom, vamos ao meu caso.

Há pouco mais de 2 anos, fui contratado como engenheiro de frontend pela Rakuten, atualmente uma gigante de tecnologia, nascida no Japão e com mais de 70 diferentes serviços espalhadas pelo mundo, inclusive no Brasil.

O escritório matriz da empresa fica em Tóquio e é ao melhor estilo de alto padrão do que vemos sobre empresas de tecnologia do Vale do Silício. O prédio conta com tecnologia de ponta, cafeterias, refeitórios com refeições gratuitas, academia, lavanderia e até restaurante de luxo!

Cerca de 12 salas de reuniões com paredes de vidro, mobília customizadas e dois displays de 50″ cada, em cada um dos 20 e tantos andares do prédio, além de centenas de mesas conectadas em ilhas/corredores circundadas por sofás, mesas elevadas, mais televisores de 50″, plantas, paredes de quadro branco e muitas pessoas, era o cenário no qual eu trabalhava! 

Eu estava alocado em uma equipe especializada em UI/ Frontend, no Centro de Excelência e Experiência do Usuário e estava trabalhando com projetos de serviços secundários ou internos, mas nada realmente desafiador ou que fosse ter um resultado fenomenal, como produto!

Eu não estava, de fato, procurando emprego, mas fui apresentado a uma oportunidade de entrar em um projeto muito mais animador, muito mais promissor no mundo da robótica autônoma. 🙂 

Este era um dos projetos da Rapyuta Robotics, startup nascida como spinoff de projetos de doutorado dos seus fundadores, na universidade de Zurich, onde trabalho atualmente como engenheiro sênior de UI/UX. 

A empresa também tem sua sede em Tóquio e conta com apenas 50 pessoas, divididas em 3 escritórios (Tóquio, Zurich e Bangalore) mas, apesar de ter um ambiente bem bacana, moderno, organizado e cheio de drones ao redor, frutas e sucos de graça, tem uma estrutura muito mais simples que a da Rakuten.

“Então, por que diabos você trocou uma pela outra?” Você deve estar se perguntando agora!

Pra falar a verdade, acho que até já dei a resposta! Basicamente, na Rakuten, eu estava na minha zona de conforto. Estava me sentindo estagnado. O brilho nos olhos fora substituído pela opacidade da burocracia.

Por ser uma empresa tão grande, a evolução na carreira estava sendo muito lenta, os desafios reais muito pequenos e por fim, claro, o reconhecimento financeiro não estava adequado.

Mudar os ares me trouxe mais motivação, mais desafios e mais aprendizado. A empresa é menor, o produto é revolucionário e a minha opinião e resultado fazem toda a diferença, para o bom e para o ruim. Tenho que fazer o meu melhor e ter certeza de que sempre estou melhorando as minhas capacidades.

Tudo isso, me faz sempre ir em frente, buscar melhores condições pra minha vida e pra minha família. 🙂 

Você trocaria?